CPPN - Centro Paulista de Parto Natural

As principais complicações na gravidez e como ficar de olho

30 jan

As principais complicações na gravidez e como ficar de olho

A gestação muda a mulher; acontecem alterações hormonais, mudanças de humor, o corpo passa a funcionar de uma maneira toda nova, e algumas complicações na gravidez podem surgir.

Muito se ouve falar sobre os cuidados que as futuras mamães devem manter durante a gravidez, e de fato, alguns deles merecem um olhar mais apurado. Para te ajudar a identificar pontos de atenção, confira essa seleção que o Centro Paulista de Parto Natural elaborou com as principais complicações na gravidez e como identificá-las!

Aborto espontâneo

Esse é um assunto extremamente delicado de se falar, especialmente para futuras mamães, mas o conhecimento sobre ele é muito importante.

O aborto espontâneo acontece antes da 20ª semana de gestação, e pode ter diversos motivos, desde a má formação do feto até mesmo uma incompatibilidade com a mamãe, ou trombofilia. No entanto, é muito difícil descobrir as causas reais de um aborto espontâneo.

Alguns sintomas são sangramento vaginal, contrações uterinas, dores lombares e cólicas, entre outros.

Hiperemese gravídica

Hiperemese gravídica é um tipo frequente de aumento das náuseas e vômitos durante a gestação, que acontece devido às alterações hormonais.

Não há exatamente um tratamento para ela, mas uma dieta balanceada e saudável pode amenizar os seus sintomas.

Na maioria das vezes, os sintomas melhoram por volta das 12 semanas de gestação. No entanto, se os vômitos forem muito frequentes, afetando a sua saúde, ou não passarem após o terceiro mês, o seu médico poderá auxiliá-la com tratamentos alternativos.

Pré-eclâmpsia

Essa complicação ocorre entre 3 a 8% de todas as gestações. Trata-se de uma elevação da pressão arterial da mulher, que acontece geralmente após a 20ª semana de gestação.

Ainda não existem causas definidas que expliquem a pré-eclâmpsia, porém, ela pode ser identificada por alguns sintomas, como urinar em excesso, falta de ar, inchaço nos pés e aumento da pressão arterial – na dúvida, procure imediatamente seu médico.

Diminuição do líquido amniótico

O líquido amniótico trabalha para proteger o bebê; sua diminuição pode significar alteração na saúde do bebê e da mamãe.

Essa complicação na gravidez não possui sintomas específicos, porém, é possível identificá-la através de uma ultrassonografia. Um pré-natal adequado e suas consultas regulares com seu obstetra são essenciais na identificação desse problema.

O tratamento é realizado de acordo com o grau da diminuição do líquido e a orientação de cada médico, porém, em geral, recomenda-se que haja um repouso maior e que se beba muita água.

Restrição de crescimento fetal 

A restrição de crescimento fetal ou restrição de crescimento intrauterino faz com que o feto apresente um tamanho menor do que o esperado.

Suas causas podem ser diversas, desde uma infecção viral durante a gravidez, alteração de cromossomo e desnutrição materna até consumo de drogas durante a gravidez.

O diagnóstico para a restrição de crescimento fetal é feito com o auxílio de exames de rotina. Seu tratamento é realizado de acordo com cada causa, porém, repouso absoluto e reeducação alimentar são bastante indicados.

Descolamento parcial de placenta

Um descolamento parcial de placenta pode ser descoberto por meio de exames de ultrassom.

Um grande sintoma que pode indica-lo é o sangramento vaginal. A avaliação médica é essencial nesses casos, e consultas de rotina e exames completos farão a diferença na descoberta de um possível descolamento.

O tratamento mais comum é o repouso absoluto, que algumas vezes poderá ser feito em casa e outras no hospital, com acompanhamento médico.

Diabetes gestacional 

A diabetes durante a gestação acontece com muita frequência. Trata-se de uma reação causada pelos hormônios da gravidez, que levam o organismo a resistir à insulina.

Essa diabetes costuma surgir após a 24ª semana de gestação, e pode durar até o parto.

Os únicos tratamentos para a diabetes gestacional são manter uma alimentação saudável e alguns remédios para hipoglicemia (somente prescritos pelo seu médico!), que auxiliam no controle do nível de açúcar no sangue.

Agora que você já sabe que existe este tipo de complicação, o ideal é consultar um médico para que ele te dê as melhores indicações sobre como prevenir ou tratá-la, de acordo com o que apresentam os seus exames.

Na gravidez, é importante informar-se, assim, fica mais fácil avaliar quando é necessário agir. No entanto, é importante levar a gravidez com tranquilidade e segurança; para isso, escolha um bom obstetra, que você confie, para te guiar por todas as suas dúvidas!

Escreva uma resposta ou comentário

Enviar Whatsapp
Fale Rapidamente Pelo Whatsapp!
Olá, gostaria de agendar uma consulta no Centro Paulista de Parto Natural?